A crise dos 20

Olá pessoas como vocês estão?

A crise dos 20. Durante essa semana eu me deparei com este termo no Youtube, depois de pesquisar sobre algumas coisas em específico apareceu o vídeo da Nataly Neri fazendo um paralelo sobre os 20 anos e como a cultura pop não possui muitas representações sobre o jovem adulto do século 21.

 Portanto se acomoda na cadeira, pois será sobre isso que vou tentar destrinchar um pouco nesse texto.

Photo by Bogomil Mihaylov on Unsplash

Quando eu era criança pensava como seria para mim quando ficasse mais velho, eu me imaginava com 20 poucos anos lidando com coisas que condiz com o ser adulto, estaria num emprego interessante, numa situação estável e entendido sobre quem eu sou.

Corta para o Matheus de 20 anos e ele estava tão perdido quanto o meu eu criança. Me recordo muito de que nessa idade (e posso dizer que até hoje) eu não sei exatamente quem eu sou e o que quero da minha vida, apesar de recebermos o selo de "Você é um adulto agora", por muitas vezes não nos vemos como tal. Eu acreditava que ao completar a maioridade algo mudaria dentro de mim, uma confiança se estabeleceria, haveria um plano que eu seguiria e tudo iria se resolver sozinho, é como aquela música chamada Stressed Out do Twenty One Piltos, em que ele canta "Me disseram que quando eu ficasse mais velho todos os meus medos diminuiria. Mas agora eu sou inseguro e eu me importo com o que as pessoas pensam", ou seja, eu ainda continua sendo o garotinho inseguro com um aspecto de mais velho.

Os 20 anos é um dos momentos que podem ser os mais dolorosos possíveis, pois não nos sentimos preparados para lidar com esse turbilhão que é o mundo adulto, do nada descobrimos que há um negócio chamado trabalho, que temos que nos submeter a perder uma parte da vida fazendo algo que provavelmente não gostamos para conseguir dinheiro e pagar o monstro chamado boleto. Portanto a sensação de despreparação, de que não iremos conseguir conquistar os nossos sonhos em um tempo hábil nos magoa e sufoca. 

Há um tempo atrás estávamos lidando com questões mais simples como ir bem no colégio e agora temos que lidar com isso e mais um monte de compromisso que surgem do nada sem nenhuma instrução concreta de como fazer isso. A imaturidade de lidar com aquilo nos trás a sensação de que não nos sentimos adultos o suficiente para lidar com essas situações e portanto é nesse momento que algumas pessoas começam a criar uma matemática do tipo "Ok, se eu fizer tal coisa, eu vou me sentir adulto" e com isso posso citar vários exemplos que você irá se identificar como: se eu entrar na faculdade eu vou me sentir adulto, se eu tirar a carteira de motorista eu vou me sentir adulto, se eu começar a pagar boleto me sentirei adulto, se eu achar um trabalho eu me sentirei adulto e por aí vai.

Eu mesmo estive fazendo essa matemática comigo agora que finalmente pude morar sozinho, estou há 2 semanas morando só e no momento que eu paguei o primeiro aluguel, eu acredito que me sentiria adulto, no momento que eu estivesse morando de fato sozinho eu me sentiria adulto, e mesmo com tudo isso eu ainda não consegui ter essa sensação. Óbvio que algumas responsabilidades caem no meu colo por ser apenas eu dentro de um apartamento, no entanto aquela sensação de que eu estava buscando para validar o meu adulto não veio.

Confesso que não faço a mínima ideia se isso irá vir algum dia, mas com o vídeo e com outros relatos, eu percebi que na verdade a fase dos 20 não é algo sobre ser adulto, ou de correr contra o tempo para conseguir tudo antes dos 30 e aí nos 30 viver uma vida estável. Acredito que para nossa geração a fase dos 20 nada mais é que uma fase de descobertas e pode ser qualquer descoberta, sobre quem você é, o que você gosta de fazer, o que quer fazer, como deseja se sentir, com quem deseja ficar e assim por diante.

Para finalizar, alguns de nós começam a fazer uma comparação com os nossos pais na época deles, em como eles eram muito mais adultos do que nós, no entanto eu não considero justo se comparar dessa forma, afinal os dilemas que os nossos pais enfrentaram nessa idade não fazem mais sentido, eles não pertence a nós, mas a eles. A nós são outras questões em pauta até pelo advém da tecnologia e por ser algo novo para todo mundo, não há um manual de instrução a ser seguido, os valores que nossos pais pregam já não cabem muito bem nesse mundo globalizado, por isso para nós é mais um "dá os seus pulos" e "se tiver com medo, vai com medo mesmo".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Seja Mais, Tenha Mais, Saiba mais

Homens casados vivendo no Armário

Jogos de RPG das antigas