Life is Strange - Resenha do jogo

Olá jovens, como vocês estão?

Essa semana fechei, zerei, concluí o jogo Life is Strange e que game incrível.



Life is Strange é um jogo de escolhas, ambientado na escola americana Blackwell. Nós jogadores vivenciamos a vida de Max, uma adolescente estudante de fotografia que em um dia na aula descobre que possui o incrível poder de voltar no tempo.

Após presenciar um episódio no banheiro feminino em que uma garota chamada Chloe é assassinada por um rapaz rico da cidade chamado Nathan Prescot devido a envolvimento com drogas, Max utiliza seu poder para imperdir que Chloe morra e a salva deste episódio, dando assim a partida inicial na história do jogo.

O gráfico do jogo em si não é dos mais atualizados, porém condiz muito com o ambiente que o jogo estabelece, sua trilha sonora é impecável e auxilia muito nas horas sensatas do game. Muitas das ações que o jogador toma pode influenciar no futuro, portanto algumas falas que você utiliza mesmo sendo um inocente em busca de acobertar um culpado, pode acabar sendo utilizadas contra você, porém eu percebi que isso foi algo bem sutil no jogo.

Alguns momentos serão difíceis de lidar e você não poderá voltar no tempo para desfazer, isso é muito tenso e apavorante, principalmente quando você precisa impedir que um certo personagem tente tirar a própria vida.

Outra coisa interessante no jogo é a própria jogabilidade, sendo que os comandos respondem bem mesmo sendo limitados, mas a possibilidade maior é de você poder interagir com os outros personagens, cartazes, livros, computadores, entrar no quarto de outros estudante em busca de pistas e muitas outras coisas que você pode utilizar e vasculhar para conhecimento próprio.

As Personagens

Max Caufield é uma menina quieta e introvertida, sua maior ambição é se tornar uma fotógrafa, porém por ser uma ambição que ela tanto almeja acaba sendo ao mesmo tempo o seu maior medo,
sua preocupação em não sere boa acaba a afetando para não participar de certo concursos que poderiam promover sua carreira.

Ao mesmo tempo ela é super simples e honesta, geralmente ela sempre opta por fazer o que é certo e justo, mesmo que custe sua saúde mental, ou mesmo que muitos a julguem pelo seu jeito de ser. Apesar de ser quieta e introvertida, Max demonstra ser um garota normal, que preza pelos seus verdadeiros amigos mesmo que tenha que assumir a culpa sobre algo que não fez para limpar a barra de alguém, claro que essa decisão será tomada pelo jogador, o que faz Max parecer mais conosco do que as vezes com ela própria.

Sempre que interagimos com algo ela mostra o seu lado sentimental da vida, para muitos ela será apenas uma garota tristonha que vê tudo pelo lado triste da coisa, mas para outros será uma garota forte que busca fazer o que é certo para salvar aqueles que ela ama.

Seu poder de voltar no tempo é limitado, ou seja, em muitos momentos voltaremos no tempo em apenas alguns segundos ou até minutos, além de que muitas voltas no tempo pode afetar o seu organismo e como consequência gerar uma grande dor de cabeça ou até desmaios, mas geralmente só ocorre nas cutscenes.


Eu particularmente me identifique muito com ela em muitos momentos, não sei ao certo se isso deve-se as ações que tomamos ou se o intuito dos desenvolvedores era criar uma personagem que condiz com a maioria dos adultos solitários.

Chloe Price

Chloe é totalmente o oposto de Max, após a morte de seu pai e a mudança de Max para uma outra cidade na pré adolescência, ela acaba se vendo sozinha na ilha de Arcadia Bay e começa andar com pessoas diferentes e perigosas. Nesse meio tempo Chloe acaba ficando amiga de uma garota chamada Rachel Amber em que cria um forte laço de amizade, porém algumas semanas antes de Max voltar para Arcadia Bay para estudar, Rachel é considerada como desaparecida e isso afeta o relacionamento das duas.

Apesar de ser uma pessoa boa, Chloe vive se mentendo em encrenca, seja com traficantes locais, seja com o lunático do padastro, ela sempre acaba achando um jeito de ser uma pessoa caótica em alguns momento, o que eu consideraria como um adolescente rebelde e clichê em busca de aventuras na cidade pacata. Nota que o clichê nas duas personagens não é uma coisa ruim, pois o contrates entre Max e Chloe é o que fortalece suas relações, pois enquanto uma é mais justa e quieta, a outra é a mais rebelde e faz com que todos saiam da sua zona de conforto e experimente as coisas que a vida proporciona.


Chloe é o tipo de amigo que precisamos ter e impedir ao mesmo tempo, seu jeito de ser é um mix das duas coisas que há de bom e ruim.

Considerações Finais

O jogo é muito bom e a sua ambientação, personagens e trilha sonora são bem construídos, favorecendo uma boa jogatina. Na data de lançamento o mesmo foi lançado por capítulos, mas hoje você praticamente pode comprar todos na Steam de uma vez só.

Seu final é impactante e com certeza irá influenciar muitas pessoas, para alguns pode ser até um final pré meditado, porém para mim não era nada do que eu estava esperando, saber quem era os vilões, o que aconteceu de verdade com Rachel Amber, conhecer um pouco do passado de alguma pessoas, esconderijos, tudo isso me chocou de forma bem positiva e a decisão final a ser tomada é muito difícil. Caso você já tenha finalizado o jogo e queira saber a minha decisão final no jogo, eu escolhi a da esquerda (triste né).

Curioso é que dependendo da escolha muitas pessoas podem acabar chorando, eu praticamente fiquei chocado o final inteiro por não estar acreditando que aquele era o final.

Enfim, Life is Strage é um jogo sensacional produzido pela Square Enix e que com certeza ficará marcado na minha vida Gamer. :D

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jogos de RPG das antigas

Parques de Diversões

Demolidor: O homem sem medo - HQ Marvel